Por Verner Geier

Como muitas pessoas começaram a prestar atenção e a usar a música do Salmo 142, que alguns dão o título de “Com a minha voz clamo ao Senhor”, resolvi publicar a história aqui no meu site do Pautasonline, sobre a ocasião em que essa música foi composta. Quero reforçar e dizer que essa história já foi publicada pela antiga JUERP, no livro “HCC Notas Históricas”, por Edith Brock

Mulholand, num belíssimo trabalho sobre o contexto e a experiência de cada hino publicado no HCC, ou, Hinário Para o Culto Cristão.

Mas a história da composição do Salmo 142 começa assim.

Era inverno em Ijuí, no Rio Grande do Sul, no ano de 1980. Eu era ministro de música da Primeira Igreja Batista. Deus tinha nos agraciado com nosso segundo filho, o Davi. Nesta ocasião ele estava com algumas semanas de idade. Como bom marido, revezava-me com Mary, minha esposa, nos cuidados noturnos dos filhos. Fazia frio, mas era minha vez. Levantei-me, fui ao quarto das crianças, troquei as fraldas do Davi, conferi se o Billy, o primeiro filho, dormia tranquilo, e voltei a deitar-me.

Desta vez, porém, não conseguia mais pegar no sono. Alguma coisa me preocupava. Poderiam ser algumas dificuldades no trabalho da igreja, ou preocupações com a família. Afinal, liguei a luz do abajur, peguei a Bíblia, e sentei-me encostado na cabeceira da cama. Abri a Bíblia no livro dos Salmos e parei no Salmo 142. Sua mensagem descrevia a minha oração do momento. Enquanto lia e relia o Salmo a melodia já começava a fluir. Olhei o relógio; passava das duas da manhã. O Salmo e a melodia me soavam tão fortes que achei que não deveria mais “perder tempo” deitado ali na cama. Levantei-me, fui ao piano, no escritório que ficava fora de casa, e comecei a escrever a música. Não percebi, mas quando a música estava pronta, versificada e harmonizada, eram sete horas da manhã. Nem percebi como o tempo passou tão rápido. Mas louvei a Deus por ter concluído a música. O acompanhamento foi feito no outro dia.

Jamais imaginei que esse Salmo com essa música iria impactar tanto as pessoas. Pois só as experiências que já foram contadas sobre as bênçãos que essa música trouxe a tantas pessoas, é motivo de gratidão por ter sido um instrumento usado por Deus durante algumas horas da noite. Louvado seja Deus por uma noite tão abençoada!